A saúde e o bem-estar no Ocidente são considerados valores que – desde o século XX – têm uma grande importância: são fundamentais, essenciais, indispensáveis. Não é por acaso que falamos frequentemente da saúde como um direito humano. Além disso, a relevância da saúde e do bem-estar como questões de comunicação é evidente nos dias atuais, por exemplo, no espaço dedicado a eles na mídia – como programas de televisão e rádio e sites dedicados à saúde, aos cuidados com o corpo, à culinária. O peso do ponto de vista econômico também parece estar crescendo, tanto na esfera comercial1, quanto – graças também à crise do Welfare State (Estado de Bem-Estar Social) – com a disseminação de formas de seguro e assistência médica suplementares às fornecidas pelos sistemas públicos, ou seja, de natureza privada. A política e o direito, por sua vez, devem enfrentar demandas crescentes, em termos quantitativos e qualitativos, em relação à assistência, ao acesso aos cuidados e às demandas no âmbito da saúde como direito dos cidadãos e humanos (portanto, universal).

Saúde como direito humano. Elementos de comparação entre Itália e Brasil a partir da teoria dos sistemas sociais / Finco, Matteo; Regina Martini, Sandra. - (2021), pp. 149-192.

Saúde como direito humano. Elementos de comparação entre Itália e Brasil a partir da teoria dos sistemas sociais

Matteo Finco;
2021

Abstract

A saúde e o bem-estar no Ocidente são considerados valores que – desde o século XX – têm uma grande importância: são fundamentais, essenciais, indispensáveis. Não é por acaso que falamos frequentemente da saúde como um direito humano. Além disso, a relevância da saúde e do bem-estar como questões de comunicação é evidente nos dias atuais, por exemplo, no espaço dedicado a eles na mídia – como programas de televisão e rádio e sites dedicados à saúde, aos cuidados com o corpo, à culinária. O peso do ponto de vista econômico também parece estar crescendo, tanto na esfera comercial1, quanto – graças também à crise do Welfare State (Estado de Bem-Estar Social) – com a disseminação de formas de seguro e assistência médica suplementares às fornecidas pelos sistemas públicos, ou seja, de natureza privada. A política e o direito, por sua vez, devem enfrentar demandas crescentes, em termos quantitativos e qualitativos, em relação à assistência, ao acesso aos cuidados e às demandas no âmbito da saúde como direito dos cidadãos e humanos (portanto, universal).
978-65-5917-238-2
File allegati a questo prodotto
File Dimensione Formato  
Finco&Martini-Saúde como direito humano-IT&BR-Direitos sociais e interdisciplinaridade_2021.pdf

accesso aperto

Licenza: Tutti i diritti riservati (All rights reserved)
Dimensione 2.78 MB
Formato Adobe PDF
2.78 MB Adobe PDF Visualizza/Apri PDF

I documenti in IRIS sono protetti da copyright e tutti i diritti sono riservati, salvo diversa indicazione.

Utilizza questo identificativo per citare o creare un link a questo documento: https://hdl.handle.net/11573/1579686
Citazioni
  • ???jsp.display-item.citation.pmc??? ND
  • Scopus ND
  • ???jsp.display-item.citation.isi??? ND
social impact